quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Sintomas Primários HIV

    Você manteve relações sexuais sem proteção?! Está preocupado?! Você sabia que algumas vezes é possível reconhecer se você contraiu o vírus HIV, por meio de sinais e sintomas? A maior parte dos recém infectados apresentam sintomas na face inicial de contágio.


    A infecção primária do HIV ocorre nas primeiras semanas ou meses depois que uma pessoa é infectada pelo o HIV. Os sintomas incluem principalmente edemas nos ganglios linfáticos e/ou febre persistente, comumente também apresentam uma ou mais das situações a seguir: indisposição (que é uma sensação de fraqueza, desconforto e fadiga) sem motivo aparente, perda de apetite e grande perda de peso, feridas na boca ou genitais, dores nas articulações ou músculos, dores de cabeça, diarréia extensa, suores noturnos, náusea e vômitos. Geralmente os sintomas começam a surgir a partir de uma semana após o possível contágio, pois há um período de incubação de alguns dias a algumas semanas entre o período de quando a pessoa foi exposta ao HIV a até quando os sintomas aparecem, ou seja se você foi exposto ao vírus hoje, certamente não apresentará tais sintomas amanhã.
    Se você apresenta algum(s) dos sintomas acima, não quer dizer necessariamente que você foi infectado. Muitas outras doenças podem causar esses sintomas. Por exemplo, muitas pessoas com uma febre ou dor de garganta, podem estar vivenciando doenças comuns como um resfriado, ou gripe. Então, não entre em pânico. Mas, se você tem alguns desses sintomas e sente que há uma mínima possibilidade de que você tenha sido exposto ao HIV, como uma atividade sexual desprotegida recente ou compartilhado uma seringa, até mesmo com alguém que você acredita que seja HIV negativo, é imprescindível que você procure seu médico e faça o teste de HIV.
    Se você não apresenta nenhum desses sintomas, também não significa que você é soro negativo. Pois parte das pessoas que contraem HIV nunca mostram os sintomas de infecção primária do HIV. Ou seja, se você expôs-se de qualquer forma, não acredite que você seja HIV negativo, tão somente porque você não sentiu os sintomas primários de infecção do HIV.


    Quando você for ao médico com algum desses sintomas, é muito importante que mencione fatores de risco que possa estar ocorrendo com você e assim, poderia ser realizado um teste contigo. Se você até tenha feito sexo sem proteção, mesmo que seja uma vez, se usou drogas injetáveis ou pense que pode estar tendo alguma infeção primária do HIV, confie em dizer ao seu médico. Estando disposto a realizar um teste de HIV, você estará fazendo a sua parte para reduzir a contaminação da doença. Pessoas que contraem o HIV são, na maioria, infectadas pelo outro durante o período de infecção primária do HIV dele. Nessa fase, a carga viral no sangue, no sêmen, ou as secreções vaginais é muito alta e ficam deveras mais propensos a infecção.
    Atualmente indivíduos infectados que conhecem seu status, podem notificar seus parceiros e seguir os passos para reduzir os riscos de infectar outrem. Naturalmente, se você é sexualmente ativo ou compartilha seringas, você deveria aguardar até você saber se tem HIV para praticar sexo seguro. Então, proteja-se a si próprio e aos que estão à sua volta. Se você ainda não fez o teste do HIV, faça-o agora. Se você é sexualmente ativo, pratique sexo seguro para reduzir seu risco.
 E se você acha que possa ter sido exposto ao HIV e está tendo sinais e sintomas parecidos com de infecção primária do HIV, não espere. Procure seu médico rapidamente e peça um teste de HIV. Procurar orientação médica pode salvar a sua vida e as vidas de muitos outros. E nunca, nunca mesmo, se esqueça, sempre faça sexo com camisinha, e não compartilhe objetos perfurantes ou cortantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário